Clinamen – 05/03/2013

A coordenação do Clinamen – Seminário Permanente do Curso de Filosofia – convida toda a comunidade acadêmica para prestigiar a palestra Filosofia, Pessimismo e Ironia: uma aproximação de Schopenhauer na poesia de Augusto dos Anjos, a ser ministrada pelo Profº Fernando Guilherme na próxima 3ª feira, a partir das 18h, no miniauditório de Filosofia.

Resumo da palestra:

Arthur Schopenhauer  (1788 – 1860) pertence ao universo daqueles pensadores essenciais que continua, ainda hoje, muito citado e pouco lido. Imortalizado em fragmentos e frases de efeito, repetidas muitas vezes inapropriadamente, foi, antes de tudo, um crítico mordaz da
sociedade de seu tempo e um espírito inovador  no cenário filosófico ocidental. Desenvolvendo uma teoria filosófica considerada pessimista e que confronta a tradição filosófica racionalista ocidental, o filósofo alemão parte da filosofia kantiana e  incorpora elementos do pensamento oriental, concebendo o mundo como Representação. Entre
elementos originais apresenta a ideia da Vontade e do desejo como motor da vida, da consciência como percepção da inevitabilidade do sofrimento, da valorização da percepção intuitiva da arte e do valor do gênio artístico, da imortalidade na matéria e da dissociação entre amor e felicidade. Sua filosofia influencia decisivamente pensadores como Nietzsche, Freud, Cioran e artistas e literatos como Wagner, Thomas Mann, Jorge L. Borges, Marleen Gooris e, no Brasil, principalmente Machado de Assis e Augusto dos Anjos, poeta paraibano
do início do século XX. A poesia de Augusto dos Anjos, considerada agônica, mórbida e pessimista, é, no entanto, carregada de uma fina ironia e profundidade metafísica sensível que reflete, de forma extremamente singular, elementos do ideário estético e filosófico de
Schopenhauer diante da natureza, amor e da humanidade.

This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.