Atividades de Extensão na Pandemia: Mora na Filosofia Mês de Outubro de 2020

Universidade Federal de Alagoas – Projeto de Extensão Mora na Filosofia

Programação de Outubro de 2020

2 de Outubro (18 horas)

Tércia Montenegro – Universidade Federal do Ceará (http://lattes.cnpq.br/2978515595910390)

LITERATURA E FILOSOFIA – ESCREVER PARA PENSAR

Resumo: Nesta palestra, vamos debater sobre algumas proximidades da arte literária com o texto filosófico, a partir de autores selecionados. Inicialmente, partiremos de distinções específicas para categorizar o literário e, na sequência, veremos como o diálogo com a filosofia se estabelece não somente em termos de conteúdo, mas também de forma, com exemplos ilustrativos. Situações presentes no caso inverso, ou seja, no texto filosófico que apresenta “timbre literário”, serão igualmente aventadas, para uma reflexão mais produtiva.

Palavras-Chave: Literatura. Filosofia. Linguagem. Pensamento.

Sobre a Palestrante: Graduada em Letras, mestra em Letras e doutora em Linguística pela Universidade Federal do Ceará (UFC). É professora do Departamento de Letras Vernáculas da UFC e realizou estágio pós-doutoral na Université de Liège com o projeto intitulado A semiótica na fotografia de Tiago Santana. Começou sua carreira como ficcionista em 1998, com a publicação de O Vendedor de Judas, livro que atualmente está em sua quinta edição e recebeu o selo do Programa Nacional Biblioteca na Escola (PNBE), do MEC. Em 1999, ganhou a Bolsa para Escritores Brasileiros com Obra em Fase de Conclusão, da Biblioteca Nacional, e em 2000 venceu, com Linha Férrea, o prêmio Redescoberta da Literatura Brasileira, promovido pela Revista Cult. Este livro foi publicado no ano seguinte, em São Paulo, pela Lemos Editorial. Em 2005, publicou os contos de O resto de teu corpo no aquário, livro que foi premiado pela Secretaria da Cultura do Estado do Ceará. Em 2012, foi a vez de O tempo em estado sólido, volume que recebeu o prêmio Governo de Minas Gerais de Literatura e o prêmio nacional Ideal Clube de Literatura, tendo sido selecionado pela primeira temporada de originais da editora Grua, de São Paulo. Em 2013, este livro foi finalista do Jabuti e do prêmio Portugal Telecom. Seus contos também integram várias antologias nacionais e estrangeiras, como 25 mulheres que estão fazendo a nova literatura brasileira (ed. Record), Contos cruéis: as narrativas mais violentas da literatura brasileira (Geração Editorial), Contos de agora (audiobook pela Livro Falante), Quartas histórias: contos baseados em narrativas de Guimarães Rosa (Garamond), Um rio de contos (Editorial Tágide, de Portugal), O conto brasileiro contemporâneo (ed. Laiovento, de Santiago de Compostela), Der schwarze Sonh Gottes – 16 Fußballgeschichten aus Brasilien (Assoziation A, de Berlim), Wir sind bereit. Junge Prosa aus Brasilien (Lettrétage, de Berlim) e Wenn der Hahn kräht – Zwölf hellwache Geschichten aus Brasilien (edition fünf, de Munique). Em 2015, lançou o romance Turismo para cegos, pela editora Companhia das Letras – uma obra que recebeu o incentivo do programa Petrobras Cultural e recebeu o prêmio Machado de Assis, da Fundação Biblioteca Nacional, como o melhor romance do ano. Também pela editora Companhia das Letras, publicou no ano passado o romance Em plena luz. Blog: http://literatercia.wordpress.com/

Inscrições Gratuitas: https://doity.com.br/moranafilosofiaempandemia-02deoutubro

 

9 de Outubro (18 horas)

Lílian Martins – Repórter da Assembleia Legislativa do Ceará (http://lattes.cnpq.br/4036638505318530)

O PROTAGONISMO LITERÁRIO DAS ESCRITORAS CEARENSES

Resumo: Quando falamos em literatura de autoria feminina cearense, logo nos vem à mente o nome de Rachel de Queiroz (1910-2003), primeira mulher a ingressar na Academia Brasileira de Letras em 1977. Porém, pouco se sabe sobre as escritoras que a antecederam e que muito contribuíram para o movimento literário não só no Ceará, mas também no Brasil. É sobre o pioneirismo dessas mulheres cearenses nas letras e na vida política e social do país, nos séculos XIX e XX, que vamos conhecer um pouco mais!

Palavras-Chave: Literatura. Literatura de autoria Feminina. Escritoras Cearenses. Feminismo.

Sobre a Palestrante: Possui graduação em Letras Português, Espanhol e suas Literaturas pela Universidade Federal do Ceará, especialização em Ensino de Língua Espanhola pela Faculdade Stella Maris e em Gestão Educacional pela Universidade Cesumar (2020), proficiência em Língua Espanhola pelo Instituto Cervantes-Madrid (DELE), capacitação para professor de língua espanhola como língua estrangeira pelo Instituto Alpha de Buenos Aires, Argentina e MBA em Jornalismo Político, Marketing e Comunicação Midiática pela Universidade do Parlamento Cearense. É mestre em Literatura Comparada pela Universidade Federal do Ceará (UFC) com a dissertação: Com saudades do verde marinho: O Ceará como território de pertencimento e infância em Ana Miranda; vencedora do Prêmio Bolsa de Fomento à Literatura da Fundação Biblioteca Nacional e Ministério da Cultura (2015) e do Edital de Incentivo às Artes da Secretaria de Cultura de Fortaleza (SECULTFOR) em 2016. Atualmente, cursa especialização em EaD e as Novas Tecnologias Educacionais pela Universidade Cesumar. Atua como roteirista para TV, Rádio e Projetos Transmídias. É repórter da Rádio FM Assembleia (96,7 MHz) vinculada à Assembleia Legislativa do Estado do Ceará desde 2007. Nesta emissora, é responsável pela apresentação e produção do programa literário semanal: Autores e Ideias. É coordenadora de conteúdo do curso de extensão em Literatura Cearense da Fundação Demócrito Rocha em parceria com a Universidade Federal do Ceará em 2020. Foi curadora do I Simpósio sobre Literatura Cearense da Universidade Federal do Ceará em 2013. Tem experiência na área de Letras, Comunicação, Literatura, Língua Espanhola, Educação a Distância e Inovações Educacionais. Desenvolve pesquisa sobre Infância, Identidade, Pertencimento, Literatura de Autoria Feminina, Literatura Latino-americana e Literatura Cearense com ênfase na produção bibliográfica da escritora Ana Miranda.

Inscrições Gratuitas: https://doity.com.br/mora-na-filosofia-em-pandemia-09deoutubro

 

16 de Outubro (18 horas)

Cristina Viana – Universidade Federal de Alagoas (http://lattes.cnpq.br/1573151088758210)

NECESSIDADE E LIBERDADE: DUAS NEGAÇÕES (OU: A LIBERDADE COMO RECUSA NA FILOSOFIA DA VONTADE DE PAUL RICOEUR)

Resumo: É verdade que liberdade e necessidade são opostos? Todos nós certamente já nos deparamos com uma conceituação de liberdade pautada na ausência de determinações externas. “Sou livre quando faço o que quero!” – alguns chegam mesmo a afirmar. Ora, mas todos nós igualmente sabemos que ninguém é livre dessa forma o tempo todo. E, no entanto, nem sempre nos sentimos constrangidos quando precisamos fazer “o que somos obrigados”. Acordar de madrugada para cuidar de nosso bebê, levantar cedo para estudar para uma prova, parar de assistir um filme para lavar louça… todas essas tarefas são obrigações! E nem por isso nos sentimos menos livres quando as desempenhamos, sobretudo quando podemos fazê-las por querer. O filósofo francês Paul Ricoeur (1913-2005), em sua primeira grande obra – Le volontaire et l’involontaire (1950) – foi sagaz ao escrutinar a liberdade que existe no consentimento. No consentimento, é como se liberdade e necessidade se harmonizassem, e o sujeito dissesse “Eu aceito a necessidade de bom grado”. Porém, para chegar ao consentimento, a liberdade percorre um longo caminho de enfrentamento da necessidade. Esta, por sua vez, se anuncia sempre na forma de uma negação. Buscaremos nesta apresentação explicar como Ricoeur concebeu a aproximação entre necessidade e liberdade a partir do fio condutor da negação.

Palavras-Chave: Liberdade. Necessidade. Negação.

Sobre a Palestrante: Licenciada em Filosofia pela Unesp, Mestre em Filosofia da Mente, Epistemologia e Lógica pela Unesp e Doutora em Filosofia Contemporânea pela Unicamp. Professora da Licenciatura e do Mestrado em Filosofia da Universidade Federal de Alagoas (UFAL). Tem experiência em temas de Filosofia da Mente, como identidade pessoal e continuidade psicológica. É autora do livro O enigma filosófico da identidade pessoal (Edufal, 2011) e coorganizadora da obra Fenomenologia e Hermenêutica (Anpof, 2019). Atualmente, pesquisa aspectos da Ética e Hermenêutica de Paul Ricoeur, como a consciência de si, o mal e a intersubjetividade.

Inscrições Gratuitas: https://doity.com.br/moranafilosofiaempandemia-16deoutubro

 

23 de Outubro (18 horas)

Raymundo Netto – Gerente Editorial e de Projetos da Fundação Demócrito Rocha (http://raymundo-netto.blogspot.com/)

ARTE LITERÁRIA VERSUS MERCADO EDITORIAL: DUAS FACES DA MESMA MOEDA?

Resumo: Neste encontro, discorreremos sobre o fazer literário e as regras tácitas ou não que regem o mercado editorial contemporâneo. Qual o papel do(a) escritor(a), quais as suas expectativas e anseios, por que escreve e porque escreve o que escreve, onde quer chegar, quais as suas frustrações e por que elas existem. O conflito entre criador e criatura em um convite para refletirmos juntos.

Palavras-Chave: Literatura. Mercado editorial. Escrita Literária. Profissão Escritor.

Sobre o Palestrante: Jornalista, escritor, editor e produtor cultural. Autor de Um Conto no Passado: cadeiras na calçadaOs Acangapebas (Prêmio Osmundo Pontes de Literatura, da Academia Cearense de Letras), Crônicas Absurdas de Segunda (finalista do Prêmio Jabuti), Quando o Amor é de Graça!Cronologia Comentada de Juvenal GalenoCentro: um coração malamadoPadre Cícero: o filmeNilto Maciel: perfil biográfico; e dos infantojuvenis A Bola da VezA Casa de Todos e de NinguémOs Tributos e a CidadeBoto Cinza Cor de Chuva. Cronista convidado do Vida &Arte do jornal O POVO desde 2007. Coeditor das revistas CAOS PortátilPara Mamíferos e curador da Maracajá; Coordenador de Políticas do Livro e de Acervos da Secult-CE (2008-2011), curador da IX Bienal Internacional do Livro do Ceará, redator do Prêmio Literário para Autor Cearense e coordenador da I Feira do Livro do Ceará em Cabo Verde. Recebeu a Medalha Boticário Ferreira em 2012. É gerente editorial e de projetos da Fundação Demócrito Rocha.

Inscrições Gratuitas: https://doity.com.br/moranafilosofiaempandemia-23deoutubro

 

30 de Outubro (18 horas)

Marcus Matias – Universidade Federal de Alagoas (http://lattes.cnpq.br/0632026530234053)

UTOPISMOS E PANDEMIA – UMA PERSPECTIVA ECOCRÍTICA

Resumo: A proposta da palestra é refletir e discutir sobre os vários conceitos relacionados aos utopismos, tratando também de termos usuais no nosso atual contexto como “normalidade” e “novo normal”, especialmente, em contraste com a realidade da pandemia e do desequilíbrio ambiental.

Palavras-Chave: Ecocrítica. Utopismos. “Novo normal”.

Sobre o Palestrante: Doutor em Letras e Linguística pela Universidade Federal de Alagoas (UFAL) e professor no ensino de Inglês e suas Literaturas na Faculdade de Letras desta instituição. Pós-Doutoramento em estudos literários e utopismos pela Universidade do Porto – Portugal. Orienta pesquisas sobre histórias de detetive e de anti-detetive pós-moderno, Romance Gráfico e Literatura, Hiper-Realismo Distópico, representação da violência na Literatura e outras mídias e o fantástico contemporâneo. Integra os grupos de pesquisa Literatura e Utopia; e o Quadro a quadro. É cocoordenador do Projeto de Extensão Mora na Filosofia e coorganizador dos livros Mora na Filosofia (Edufal, 2013), Distopia – Fragmentos de um céu límpido (Edufal, 2016), Quadro a quadro – o que há por trás das narrativas gráficas (Edufal, 2018) e Trânsitos Utópicos (Edufal, 2019).

Inscrições Gratuitas: https://doity.com.br/moranafilosofiaempandemia-30deoutubro

 

Projeto de Extensão Mora na Filosofia (UFAL):

http://moranafilosofiaufal.blogspot.com/

https://www.facebook.com/nafilosofiaufal/

https://www.instagram.com/moranafilosofiaufal/

 

 

This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.