Contagem regressiva para a Bienal Internacional do Livro de Alagoas

Abertura será nesta sexta-feira, 20, às 19h, no Centro de Convenções de Maceió

Diretora Stela Lameiras organiza os últimos detalhes para o grande evento

Na Editora da Ufal (Edufal), as caixas de livros e a ansiedade da equipe preenchem todo o espaço. Está quase tudo pronto, mas o nervosismo é normal para quem tem a responsabilidade de preparar um evento aguardado por tantos leitores, de todas as idades. Na última edição, em 2013, a Bienal recebeu 252 mil visitantes. “Nossa proposta é fazer um evento muito bonito e de muita qualidade. Queremos que as pessoas venham e aproveitem todo esse universo de sentidos”, convida Stela Lameiras, diretora da Edufal.

Como expõem o tema deste ano, a 7ª Bienal vai muito além dos livros. O evento é feito de palavras, sons e imagens. A programação é vasta e gratuita, os visitantes podem consultá-la e planejar a participação nas atividades de maior interesse ou podem simplesmente passear pelos corredores entre os stands, porque certamente, em todos os horários, vão encontrar muito o que ver. “Temos espaço para a música, a dança, as artes plásticas, o teatro…é um evento popular e para todas as idades”, destaca a diretora.

A Bienal também incorpora encontros e seminários acadêmicos, como a Semana de Pedagogia, o Seminário Afro-internacional, o Encontro Nacional de História da Ufal, entre outras atividades. “Esses eventos acadêmicos trazem maior amplitude para a Bienal. Os organizadores convidam nomes de referência de suas áreas de conhecimento que enriquecem os debates durante esses dez dias de conversas e intercâmbio de ideias”, ressalta Stela Lameiras.

Em meio aos acontecimentos simultâneos que compõem a Bienal, o livro tem sempre um espaço de destaque. “Teremos 60 lançamentos do edital publicado pela Edufal, sobre temas variados, entre eles, seis obras dedicadas aos 200 anos de Maceió. E também uma praça de autógrafos, onde escritores agendaram a divulgação de suas obras, independente de vínculo com a Ufal, já que esse é um evento para a sociedade alagoana”, relata Stela.

Construir um evento desta magnitude em tempos de contenção de despesas e cortes no orçamento, é um grande desafio, mas, Stela Lameiras destaca a confiança dos parceiros na Bienal, que já está na 7ª edição, sempre alcançando resultados muito positivos, e também reconhece a dedicação e compromisso da equipe. “Construir a Bienal é um trabalho que começa assim que termina a edição anterior. Temos uma equipe muito afinada para essa tarefa”, garante a diretora da Edufal.

Quanto aos parceiros que garantem a realização da Bienal, Stela Lameiras destaca o Governo do Estado, a Prefeitura de Maceió e a Fundação Universitária de Desenvolvimento de Extensão e Pesquisa (Fundepes). “A Bienal é um patrimônio dos alagoanos. É um evento institucionalizado e deve continuar assim. Estamos colaborando para a formação de leitores e escritores e contribuindo com desenvolvimento científico e cultural do nosso estado. Realizar a Bienal do Livro é um compromisso da Ufal com os alagoanos”, conclui Stela Lameiras.

Fonte: Site da Universidade Federal de Alagoas

This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.