Alunos de Jornalismo criam jornal experimental para o COS

Mesmo diante das dificuldades enfrentadas, os alunos estão felizes com a aprendizagem

02/07/2014 17h50 - Atualizado em 05/10/2020 às 12h56

por Paula Nunes

estudante de Jornalismo 

 

Um grupo de alunos do sétimo período de Jornalismo do Curso de Comunicação Social (COS) criou o Jecos, um jornal experimental para obtenção de nota na disciplina Oficina de Telejornalismo, ministrada pelo jornalista e professor Arnaldo Ferreira. O jornal teve duas edições e foi pioneiro no COS.

O Jecos foi criado com uma iniciativa de nove alunos para obtenção de nota durante todo o semestre. Ele teve duas edições, a primeira, foi apenas um teste para a segunda edição, que foi divulgada em uma rede social para que todos os alunos do COS tivessem acesso.

Para Derek Gustavo, um dos componentes do grupo, no primeiro jornal eles não sabiam bem como as coisas funcionavam, mas tiveram a ajuda do professor Arnaldo para entenderem um pouco sobre o universo da televisão, mesmo com as dificuldades de materiais. “Foi só na segunda edição do jornal que nós conseguimos apresentar um experimento exatamente da forma que foi produzido”, disse.

Sobre a melhoria dos alunos da primeira edição para a segunda, Derek diz não só a parte técnica melhorou de uma edição para outra, como também a execução das pautas. “No primeiro Jecos, o professor pensou em pautas do cotidiano do COS, coisas que estavam ali, no corredor em frente ao estúdio. Já no segundo, as pautas foram pensadas em conjunto, de forma um pouco mais elaborada, e com uma abrangência maio na vida dos estudantes. O segundo Jecos acabou se mostrando um jornal mais maduro, o que também mostra que nós amadurecemos rápido, de uma edição para outra”, explicou o estudante.

Os alunos que participaram do projeto Jecos, o jornal experimental do COS, foram Derek Gustavo e Renata Menezes como âncoras, produção e reportagem de Natália Oliveira, da Samara Elsie, do Nívio Dorta, do Caio Lorena, do Levi Yuri, do Victor Farias e do Pedro Barros. Os comentários foram da Gabriela Palmeira, Caio Lorena e Victor Farias, as imagens foram da Jéssica Antonielle. Na edição, Derek Gustavo e Levi Yuri. O apoio técnico foi de Izaías Barbosa, Manoel Henrique e do Victor Farias; o editor-chefe foi o Pedro Barros.

Mesmo tendo encontrado uma série de dificuldades, o estudante afirma que foi uma ótima experiência para todo o grupo. “Fizemos o jornal com a cara e a coragem, por assim dizer. Ainda há muitas arestas a serem aparadas, mas gostamos muito de ter participado disso, que pode ser considerado pioneiro em sua execução. Ajudou bastante a experiência que algumas pessoas da equipe já tinham com TV, mas no geral todos acabamos aprendendo com a experiência, colocando a mão na massa para fazer acontecer”, finalizou.